A decisão da Justiça leva em consideração pareceres técnicos da autarquia. Segundo o documento, a Pró-Veículos estaria comercializando contratos de seguros sem autorização legal, “o que tipificaria ilícito criminal e administrativo, a impor imediata cessação de suas atividades”.

Ainda, segundo o despacho da Justiça, os planos de proteção oferecidos pela Pró-Veículos exibem ostensivas características securitárias, embora sem registro, autorização do Poder Público e cumprimento às normas que instituem mecanismos de redução de riscos de solvência, formação de reservas técnicas e a adoção de medidas como co-seguro, resseguro e retrocessão.

A Susep, em seu parecer enviado ao Poder Judiciário, alerta que as atividades exercidas pela associação colocam em risco o patrimônio dos associados e outros potenciais consumidores e ameaça o mercado de seguros como um todo.

23/08/2013 / Fonte: Susep/CQCS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *