LiveZilla Live Help
Ultimas Postagens - Blog Indústria do Seguro - Page 9

Blog Indústria do Seguro

Seguros com Segurança.

  • Página Principal
    Página Principal Aqui você pode encontrar todas as postagens do blog
  • Tags
    Tags Mostra uma lista de tags utilizadas no blog.

Postado em em Opinião

Bolso vazio

O País, como é público e notório, está em crise: Inflação voltando, juros subindo, produção industrial caindo, desemprego aumentando, carga tributária nas alturas, enfim, as notícias não nada agradáveis. O que fazer quando a economia não vai bem? Aonde investir? Como conservar seu patrimônio?

Estas e outras questões são comuns em tempos como esses. Quem já passou por outras crises semelhantes sabe como é viver na incerteza do dia de amanhã.  Há, muitas vezes, um sentimento de pânico, uma histeria coletiva apontando para o fim dos tempos. Ninguém sabe o que fazer e se agarra nas coisas que tem, sem investir, sem arriscar, sem mudar a atitude. 

Em tempos de crise o medo de perder é maior que a vontade de ganhar.

Tag: Seguros

Ao contratar um seguro, é preciso estar atento não apenas às coberturas contratadas, mas também às chamadas cláusulas de exclusão. São tópicos que se referem a situações e procedimentos adotados pelo consumidor que podem levar ao não pagamento do benefício.

Atenção

No seguro de vida, por exemplo, as mais comuns são a omissão de doenças preexistentes e o suicídio nos dois primeiros anos de contrato.

Vídeo compartilhado em em Dicas de Segurança

Carrinho vermelho com motoristaA 4ª Turma Cível do TJDFT negou, em grau de recurso, ação de um motorista contra a Seguradora Alfa Seguradora S/A, na qual pedia a condenação da empresa a lhe pagar a indenização do seguro contratado. De acordo com a decisão do colegiado, “o nexo de causalidade entre o estado de embriaguez do condutor/segurado e o acidente automobilístico faz legítima a recusa da seguradora em responder pela indenização securitária”.

O segurado afirmou que solicitou o pagamento do seguro na via administrativa, no entanto teve o pedido negado pela seguradora, que invocou o motivo da embriaguez como causa do agravamento do sinistro. Depois disso, o autor ajuizou ação de cobrança defendendo que o acidente não decorreu do seu estado etílico e sim da irregularidade da pista. Alegou ter direito à indenização nos termos da apólice contratada. Requereu o montante de R$ 70.756,00, dos quais R$ 58.756,00 relativos aos danos ao seu automóvel; R$ 2.000,00 pelos danos causados a veículo de terceiro; e R$ 5.000,00 por cada um dos dois óbitos decorrentes do sinistro.

Em mais uma importante ação contra a venda de seguros piratas no Brasil, a Superintendência de Seguros Privados (Susep) obteve liminar, junto à Justiça Federal de Minas Gerais, impedindo que a Associação de Proteção a Veículos Automores (Pró-Veículos) de continuar comercializando, de forma ilegal, seguros automotivos. A ação se estende aos dirigentes da associação.Dura Lex Sed Lex

Caso a Pró-Veículos não acate a decisão judicial, pagará multa no valor de R$ 10 mil para cada evento acionado. Estes valores deverão ser recolhidos pelo Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD). A decisão colocou em indisponibilidade todos os bens, incluindo valores depositados em instituições financeiras, da associação e de seu presidente, a fim de garantir as obrigações dos réus ao final do processo.

Postado em em Seguros

Estamos inundados de informações sobre as manifestações populares que se espalham pelo País. As emissoras de televisão, rádios e jornais fazem uma cobertura minuciosa de tudo que acontece, afinal é um momento histórico e, por que não dizer, único em sua essência. O foco principal das reportagens são os tumultos e suas consequências. Infelizmente nem toda passeata acaba civilizadamente. Hordas de desordeiros levam pânico e destruição por todo lado, quebrando prédios públicos e privados, ateando fogo em veículos, pilhando, agredindo policiais e a população civil, enfim, toda ordem de atrocidades desmedidas.

Você, cidadão de bem, que lutou anos para comprar sua casa, ou seu veículo, ou até mesmo para montar seu próprio negócio, pode, em poucos instantes, ter prejuízos enormes com tumultos provocados por vândalos que se aproveitam de um momento sublime da democracia e cidadania! 

Mas isso tem uma solução: trazer as seguradoras para cobrir os danos. Como é isso? Simples. Para se cobrir imóveis, quase todas  as seguradoras oferecem a cláusula TUMULTO, GREVE e "LOCK-OUT" . Ela cobre exatamente estes prejuízos, evidentemente com suas peculiaridades, riscos excluídos, etc.. Quando você for contratar um seguro para seu imóvel, não se esqueça, contrate esta cláusula. Seu custo é bastante atrativo o que, nos dias de hoje, compensa. Tenha cuidado com as exclusões. Prefira as seguradoras que incluem no texto da cláusula os chamados “atos dolosos”. Este tipo de cláusula é mais completo. Complemente o seguro com a cláusula de Vidros e anúncios luminosos. Desta forma você estará bem mais protegido.

Quanto aos veículos, existe a exclusão de atos de vandalismo nas apólices, entretanto as seguradoras estão pagando os sinistros normalmente, uma vez que se trata de um acontecimento excepcional, de comoção mundial. Pagando, as seguradoras se inserem no contexto social fazendo sua parte. Parece incrível, mas isso já aconteceu outras vezes quando as seguradoras não eram obrigadas tecnicamente a pagar e o fizeram. Exemplos recentes são as enchentes em Nova Friburgo(RJ) e Santa Catarina, aonde milhares de danos a veículos foram indenizados.

Vamos em frente com nossas reinvindicações como cidadãos, porém seguros dos ideais e dos nossos bens.

A edição desta quinta-feira do Diário Oficial da União publicou mais quatro ações civis públicas instauradas pela Justiça, por iniciativa da Susep, contra entidades e associações de classe que comercializam a chamada “proteção automotiva” e outros tipos de “seguros piratas” em desrespeito à legislação vigente.

Protocolada em 25 de julho deste ano, está na 5ª Vara Federal a ação movida contra a Associação dos Proprietários de Veículos do Vale do Rio Doce e Outros (Aprovale).

No mesmo dia, foram protocoladas ações contra a Funerária São Cristóvão Ltda (14ª Vara Federal) e a Associação de Amparo Mútuo dos Caminhoneiros do Brasil – Rodotruck (13ª Vara Federal).

A última ação, também data de 25 de julho, tem como ré a AutoForte e está na 13ª Vara Federal.

 

...

EngarrafamentoSÃO PAULO – Levantamento feito pela consultoria Jato Dynamics, com base nas vendas globais de carros entre janeiro e maio, mostra que o Brasil continua sendo o quarto maior mercado automotivo do mundo.

Com 1,4 milhão de carros vendidos no acumulado até maio, 8,8% acima do volume de um ano antes, o mercado brasileiro ficou na frente de Alemanha, Índia e Rússia, países que registram neste ano queda nos emplacamentos.

O maior mercado automotivo do mundo está na China, onde foram vendidos 7,8 milhões de carros nos cinco primeiros meses do ano, 1,4 milhão de unidades a mais do que os Estados Unidos, segundo no ranking.

No Japão, terceiro colocado, as vendas mostram queda de 7,5%, diminuindo a distância em relação ao Brasil, com 2,2 milhões de carros vendidos entre janeiro e maio.

O balanço da Jato também faz um ranking das marcas de veículos mais vendidas. Apesar de uma queda de 2,1%, a Toyota lidera a lista, somando 2,6 milhões de carros até maio. Na sequência, aparece a Volkswagen, com alta de 9,8% e 2,4 milhões de unidades vendidas.

...
Para esclarecer algumas incertezas na locação de um imóvel, o diretor de Locações da Guarida Imóveis, Regis Scalari, dá algumas orientações. Ao escolher o imóvel que se que quer alugar, alguns passos são essenciais.

O primeiro deles, segundo Scalari, é compreender a diferença entre fiança, seguro-fiança e caução. “A Lei do Inquilinato está em vigor para proteger tanto o locador quanto o locatário. Porém, as pessoas podem apostar no diálogo para resolver pequenos problemas. Estar ciente de como funciona um aluguel também auxilia as pessoas no processo”, diz.casa

Veja, abaixo, 10 orientações do especialista na hora de alugar um imóvel:

Sim, é verdade. Guinchar um veículo automático de maneira errada pode danificar a caixa.

Seja qual for o problema, é recomendado rebocar carros com câmbio automático em guinchos de plataforma, aqueles em que o automóvel fica com as quatro rodas paradas sobre o caminhão. Principalmente se o motorista não sabe se a tração é dianteira ou traseira. As rodas responsáveis pela tração não podem girar por grandes distâncias com o motor desligado.

guincho

Agende conosco o vencimento de seu seguro!   Veja o que nossos clientes falam de nosso trabalho.

Contrate seus seguros Online.

SUSEP :10.0302767   |   Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.  |   Procon-RJ