Os Riscos de Contratar Uma Cooperativa Veicular: O Guia Definitivo

Este é o guia definitivo para que você entenda quais os riscos de contratar uma cooperativa veicular. Fique atento para não cair nas ciladas quando for pagar pelo seguro de seu carro.

Aqui no blog já escrevi um pouco sobre as cooperativas veiculares e o seguro normal. Nos posts expliquei o que significa cada um e fiz uma listagem com as principais diferenças.

Também chamei sua atenção para tomar todo o cuidado na hora de contratar um seguro. Todas as informações você poderá obter a partir dos seguintes artigos:

O que são cooperativas de veículos

Qual a diferença de cooperativa de veículos e um seguro veicular normal

O que são essas Cooperativas de veículo?

As cooperativas de veículo referem a um grupo de pessoas que se juntam para criar e manter um fundo financeiro com o intuito de indenizar sinistros.

Apesar da ideia ser muito boa, infelizmente não existem garantias como as que você encontra em uma seguradora que oferece um seguro veicular normal.

De forma muito básica, as cooperativas ou associações veiculares oferecem a proteção de seu veículo a partir de uma indenização quando ocorre algum sinistro, mas nada de forma legal.

As cooperativas têm atraído muita gente, isso porque garantem valores mais baixos e os mesmos serviços prestados por uma seguradora autorizada pela SUSEP.

Então, os membros desse grupo pagarão mensalmente uma taxa, cujo valor arrecadado servirá para cobrir as despesas diante de alguma necessidade relativa a um veículo de algum membro.

Infelizmente nem tudo acontece conforme planejado. O valor arrecadado irá depender da quantidade de membros que colaboram mensalmente.

Isso significa que quando acontece algum sinistro, poderá não ter em caixa um valor suficiente para indenização.

Quais Os Riscos de Contratar Uma Cooperativa Veicular

Você viu logo acima que o grande risco é não ter dinheiro suficiente em caixa para pagar as despesas diante de algum sinistro que ocorrer.

Porém, cabe destacar que não se resume a apenas esse risco. Existem muitas situações que você ficará na mão caso faça a opção pelo seguro de uma cooperativa veicular.

Na sequência, vou fazer a listagem dos principais riscos que você irá correr se contratar a proteção veicular em uma cooperativa de veículo.

Riscos No Contrato de Uma Cooperativa Veicular

Ilegalidade Na Operação e Comercialização De Seguros

O título deste item já é suficiente para chamar totalmente sua atenção. Afinal, ninguém quer ser amparado por uma operação ilegal.

A verdade é que para uma seguradora operar dentro do comércio de seguros é preciso ter autorização da SUSEP, que é a Superintendência de Seguros Privados.

Trata-se de um órgão do Governo Federal criado para fiscalização, controle e normatização do mercado de seguros no Brasil.

Destaco que as cooperativas de veículo não são autorizadas pela SUSEP para comercializar Seguros. É justamente por esta razão que existe ilegalidade na operação.

De acordo com a SUSEP, qualquer Associação ou Cooperativa que oferecer proteção veicular para uma pessoa, está fora da lei.

O grande problema nisso é que caso exista algum problema ao longo da operação, então o membro não poderá se defender judicialmente.

Não Existem Garantias Que Deixe Você Seguro 

Por incrível que pareça as cooperativas não oferecem as garantias que possam deixar você totalmente seguro, mesmo que esteja pagando normalmente de forma mensal.

O que é comum acontecer é que em algum sinistros, sejam eles os acidentes, os roubos, os assaltos ou incêndios, o proprietário do veículo não terá a proteção necessária diante dessas situações.

A verdade é que um seguro através de uma associação veicular não oferece as garantias que uma seguradora autorizada pode oferecer.

Não existe amparo no código de Defesa Do Consumidor

Todos os consumidores podem usar defesas em situações em que sentem que estão sendo tratados injustamente. No entanto, existem exceções.

A grande exceção é se você estiver efetuando uma transação que não esteja prevista na codificação de Defesa do consumidor. É um caso de obtenção de seguro em uma companhia de seguros cooperativa.

Isso pode ser explicado pelo fato de essas instituições atuarem à margem da lei sem sequer fornecer aos seus membros as informações necessários, por exemplo, informando-os sobre as datas de compensação.

Imagina que seguradora oficial estabeleceu um prazo de reembolso de 30 dias e a SUSEP pode verificar o cumprimento dessa regra.

No entanto, como não há homologação da associação, a SUSEP não pode verificar o cumprimento dos prazos por uma cooperativa de veículos.

Você sabe o que isso pode significar mais? Que você pode esperar muito tempo pela indenização, muito além dos 30 dias que seguradora oficial oferece.

O problema pode ir além. Mesmo as recompensas de certos membros podem não ser pagas.

O fluxo de caixa é variável

A SUSEP exige que as seguradoras formais tenham liquidez suficiente para cumprir seus compromissos em caso de sinistro com seus segurados.

Isso significa que uma seguradora só poderá operar com a venda de apólices de seguro se possuir os recursos necessários para indenizar seus clientes.

Com as cooperativas de veículos, porém, as coisas são diferentes. Não há regulamentação nesse sentido e, por esse motivo, essas instituições não possuem reservas de caixa.

Isto significa que só receberá uma indemnização se houver valor em dinheiro. Deve-se notar que mesmo que existam valores, se forem inferiores ao custo, você não obterá o equivalente ao que deveria estar recebendo.

Possibilidade de falir a qualquer momento

Como em uma cooperativa veicular não existe fluxo permanente de caixa, então certamente um dos grandes riscos de contratar uma cooperativa desse tipo é a possibilidade de perder tudo diante de uma falência.

Isso pode ser explicado pela falta de dinheiro em caixa, ou ainda pela má administração da associação.

Atendimento Deixa a Desejar

As seguradoras oficiais possuem atendimento todos os dias e em qualquer hora. Porém, o mesmo não acontece com as associações veiculares.

Por se tratar de uma instituição bem menor, com pouca infraestrutura, então não existe pessoal apto e disponível para atender todos os dias e em qualquer hora.

Como um sinistro não tem data e hora para ocorrer, poderá acontecer que você fique na mão no momento em que mais precisar da cooperativa veicular.

Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp